Como os cães enxergam as crianças?

Filhotes ou mini-humanos? Saiba qual a percepção que os cães têm sobre as crianças.

Texto: Patricia Chaerki Igreja

Fotografia: Sabrina Matias Vieira

 

Que o cão é o melhor amigo do homem, disso tudo mundo sabe. Mas e as crianças, entram nessa frase também? E como os cães consideram as crianças?

Se pudessem raciocinar como nós, será que pensariam algo como “nossa, que bonitinho, um humano menor, mais engraçado e brincalhão”? Ou mais algo do tipo “nossa, que espécie interessante, parece um humano, mas é diferente”?

Os cientistas ainda não têm respostas fechadas e estudam bastante a relação humanos/cães, considerando ainda as áreas da comunicação e do entendimento muito complexas, misteriosas e fascinantes. Porém, alguns especialistas e estudiosos já têm ideias a respeito destas questões, especialmente no julgamento das crianças por esses animais.

Eles chegaram à conclusão que, para os cães, existem “categorias” de humanos: os adultos, as crianças, os idosos, os que usam uniformes (carteiros, lixeiros…), homens, mulheres, dentre outras…

As crianças, por exemplo, agem diferentemente dos adultos em geral. Como se movem rapidamente, têm vozes distintas, tamanhos, energias, dentre outras características, os cães entendem que se tratam de humanos, mas de uma “categoria” diferente. É por isso que também devem agir de outra forma, alguns com mais cautela, outros com mais alegria.

Durante a socialização, o cão precisa amplificar o máximo possível seus limites do que se entende por humanos, passando por todas as “categorias”. É necessário que desde pequeno conheça homens, mulheres, crianças, idosos, pessoas com barba ou sem, de óculos, de cadeira de rodas, etc. para que aumente seu repertório.

Desta forma, o tutor não terá o desagradável comportamento de “meu cão não gosta de crianças” por terem muita energia ou “meu cão estranha idosos” muitas vezes por se moverem mais lentamente.

Portanto, os cães não consideram crianças como pequenos adultos, assim como não consideram idosos como adultos velhos, mas sim como uma “categoria ou tipo” de humano que tem características específicas.

Gostou da dica? Compartilhe com seus amigos que precisam saber!

 

* Tema inspirado no livro Dog de John Bradshaw  e na revista do Centro Canino de Vale Lobos.

** Os textos são originais da Redação Goldenlícia, a reprodução é permitida somente se citada a fonte.